Destaques

OPINIÃO ÀS SEGUNDAS | “Gestão de dor pós-quarentena e a importância do regresso à atividade física com critério”

Muitos de nós, durante e após este tempo de quarentena, tivemos o aparecimento de algumas dores antigas (e/ou até novas). Calma! Não quer dizer que perderam tudo o que tinham ganho até agora, nem que o processo de tratamento em que poderiam estar “andou para trás”.

O stress e incertezas, causados pela própria situação, o desleixo na alimentação, que até agora seguia alguns critérios, e a falta de atividade física (ou redução da mesma) poderão ser a causa do aparecimento destes sintomas.

Tenho dores, e agora? É de extrema importância olharmos para todo o processo de recuperação com calma, e darmos início ao mesmo o quanto antes.

Se dividirmos isto por fases, numa primeira fase podemos recorrer à fisioterapia para uma nova avaliação global, perceber em conjunto o que se alterou, o que está bem e o que estará menos bem, e até trocar algumas ideias sobre o assunto do momento. Quantas vezes uma boa conversa não ajuda a resolver alguns problemas? Aqui devo também referir que recorrer a uma consulta de nutrição e psicologia, em alguns casos, pode também ser bastante importante.

Numa segunda fase, o regresso à atividade. Este regresso deverá ser gradual, talvez diferente daquilo que estariam a fazer. A cooperação entre o trabalho de marquesa e o exercício será crucial, e este deverá ser acompanhado por alguém capaz de identificar aquilo que realmente precisam naquele momento. O corpo necessitará de um novo processo de adaptação, não saltar etapas, para que o regresso à normalidade ocorra sem problemas.

Tenham paciência! Não dá para pôr tudo em pausa e regressar exatamente onde estavamos mas chegaremos lá brevemente. Recorram aos profissionais corretos, sigam as orientações e rapidamente voltarão a fazer aquele treino pesado, a caminhar ou correr os kilómetros que tanto gostam, ou a fazer os jogos de padel seguidos sem sobressaltos.

Passadas estas fases temos então o regresso à atividade normal, que mesmo que não seja logo ao nível em que estavam, não significa que seja um retrocesso, mas sim um novo começo, que poderá até levar-vos a melhores resultados do que aqueles que estavam a ter.

A Covid-19 veio mudar toda a nossa vida, mas nós somos fortes e conseguiremos nos adaptar. Nunca duvidem disso! Sigam todas as normas da DGS, mas voltem à atividade. Os profissionais de saúde e de exercício tomaram todas as medidas para vos receber em segurança, e lembrem-se que os problemas de saúde inerentes à falta de atividade são bem mais velhos que a Covid e com efeitos igualmente maus, até para o combate a este vírus.

Na esperança de que estejam todos bem, deixo-vos uma expressão que um amigo costuma utilizar em tom de brincadeira, mas que faz todo o sentido: ” sejam ativos, sejam saudáveis, sejam felizes!”

Tiago Oliveira – Fisioterapeuta

geral@fisioterapiatiagosilva.pt | 252 612 794 / 913 062 622